Uma comunidade desenrolada chamada Vale Livre

Uma comunidade Desenrolada chamada Vale Livre

Este é o primeiro artigo da minha série de diligências pelo mêi do mundo.
Então, o que dizer dessa comunidade arretada que atua na região do Vale do Jaguaribe do Estado do Ceará, essa comunidade que surgiu com a intenção de fortificar o uso do Software Livre em todos os municípios envolvidos. Essa comunidade que fez o 2º maior FLISoL(Festival Latino Americano de Instalação de Software Livre) do estado do Ceará, e que em menos de 1 ano realizou o 1º Vale Web Livre, o evento que tinha como objetivo mostrar que dá pra se tornar um desenvolvedor web invocado utilizando apenas tecnologias livres e abertas.

Vale Web Livre
Este evento, Vale Web Livre, aconteceu no dia 07 de Novembro de 2015, na UFC(Universidade Federal do Ceará) de Russas-CE, e contou com a participação de aproximadamente 140 pessoas, em sua maioria alunos das Escolas Estaduais de Educação Profissional, EEEP Professor Walquer Cavalcante Maia da própria cidade, e da EEEP Francisca Rocha Silva de Jaguaruana-CE, alunos dos cursos de Engenharia de Software e Ciência da Computação do campus, e membros da comunidade em geral.

Vale Web Livre
Ao todo foram 9 atividades, sendo 5 palestras, 3 oficinas, e 1 mesa redonda, eu ministrei a palestra de abertura “Desenvolvedor Invocado é aquele que usa software livre” e como de costume a oficina “Programando com PHP enquanto come Rapadura”, então deu pra ver que teve bastante rapadura nesse evento hehehe… Confira algumas fotos:

Rapadureiros Daniel das rapaduras
Meninos das Rapaduras Eu recomendo rapadura

Vale lembrar que o evento foi totalmente underground, ou seja, não teve patrocínio nenhum, foi todo feito através de muita força de vontade e garra dos alunos, em especial do Yan Vancelis, e com orientação do professor Doutor Dmontier Aragão, um evento gratuito que promete voltar no próximo ano com muito mais força e muito mais atividades.

Cheguei em Russas ainda na sexta, dia 06, onde conheci a Universidade e alguns dos organizadores, fizemos até uma breve desconferência com pizzas e uma boa conversa.

Desconferência Vale Web Livre

O ativismo do Movimento Software Livre é exatamente isso, essa vontade de compartilhar o conhecimento de forma livre e de fácil acesso, vale salientar aqui que todos que participaram das minhas atividades, participaram com fome de conhecimento, e é isso que precisamos, sede de ensinar e fome de aprender. Aos organizadores só tenho a agradecer o carinho e a emoção de todos ao fim do evento vendo que o mesmo havia sido um sucesso, aos participantes, em geral os alunos meus sinceros agradecimentos pela incansável vontade de aprender, sempre que participo de eventos voltados a alunos de escolas públicas, me sinto honrado, pois lembro de onde vim, e sei que estou meio que retribuindo a vocês o que um dia me foi concedido. Ninguém deveria fechar o conhecimento, ninguém deveria privar o ensino.

Programando com PHP enquanto come Rapadura Programando com PHP enquanto come Rapadura

Quero salientar também o passo para a liberdade de software que a comunidade anda tomando em relação aos laboratórios do campus, que antes possuíam Ubuntu em seus computadores e agora começaram a migrar pro Debian, isso é de fato um avanço pra implantação de Software Livre na Universidade.

Enfim, meus agradecimentos a todos os envolvidos, principalmente ao Yan Vancelis, pelo convite e pela acolhida em sua residência. Meus parabéns a comunidade, a parceria PHP com Rapadura + Comunidade Vale Livre vai longe! Que venha o próximo ano cheio de novas ações desta comunidade que só tende a crescer mais e mais!Vale Livre

Clique aqui para ver todas as fotos do evento!

Saudações Livres a todos e até a próxima 🙂

Software Livre: por onde começar – Parte II

Olá companheiro, que bom que está aqui novamente, voltamos hoje a nossa série de artigos sobre o SL com o artigo Software Livre: por onde começar – Parte II, no post anterior foi explicado como funciona o relacionamento entre Hardware, Kernel, e Software, e as funcionalidades de cada um. Então já que agora sabemos como funciona um Sistema Operacional, vamos ver como surgiu o GNU.

GNU

Mas vamos voltar um pouco mais atrás no tempo e saber que por volta dos anos 60 os computadores existiam quase que exclusivamente só para o Governo e para grandes empresas, e nesse tempo não era comum pensar em Software e Hardware como duas coisas separadas, na verdade computador era a coisa toda, a tecnologia era tida como se fosse uma só.

Passado o tempo, tínhamos então o Software e Hardware sendo o que cada um é, a parte lógica e a parte física, respectivamente, mas, mesmo assim, quando algum produto era vendido o custo do software já estava incluso no hardware, ou seja, venda casada(se bem que hoje não tá muito diferente né).

Passou-se mais algum tempo e o software agora passava a ser comercializado separado do hardware, algo bom, já que o cliente poderia comprar seu produto e instalar nele o software que desejasse(e funcionasse), é como se houvesse um mercado só para softwares.

Vale lembrar que nessa época já existiam algumas pessoas com a ideia de softwares de código aberto, que dessem liberdade para estudá-lo, alterá-lo, distribuí-lo, era uma ideia interessante já que o que tava tendo muito eram empresas fazendo softwares não livres para funcionarem em determinados produtos, porém sem a liberdade de acessar e modificar o código-fonte de acordo com suas vontades e necessidades. Eram desejos de libertar os softwares, ou seja, desejo por Software Livre, hehehe.

Pois bem, em 1984 já existiam alguns projetos de Software Livre organizados, e com alguns fundamentos legais, financeiros, éticos, e filosóficos estabelecidos. Nesse ano um cabra desenrolado chamado Richard Stallman, que trabalhava com negócio de Inteligência Artificial no MIT(Instituto de Tecnologia de Massachusetts), esse macho gostava de compartilhar seu conhecimento e seus códigos, e por causa dessas características se invocou com a empresa onde trabalhava e largou o emprego. Stallman queria que por direito os usuários pudessem estudar, copiar, modificar, e redistribuir os softwares, e por isso ele elaborou a licença GPL.

Richard Stallman

Stallman escreveu um artigo chamado “Manifesto GNU” que explicava em detalhes o Projeto GNU, mas para institucionalizar essa ideia e poder obter fundos para desenvolver e garantir proteção aos softwares ele fundou a Free Software Foundation, nasce então aí o Movimento Software Livre.

 

Para ir diretamente contra os “Direitos Autorais”(Copyright), a FSF cria o copyleft, ou seja os “Esquerdos Autorais”, e cria também as 4 liberdades do software:

Liberdade 0 – A liberdade de executar/rodar/usar o programa, para qualquer propósito.

Liberdade 1 – A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.

Liberdade 2 – A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo.

Liberdade 3 – A liberdade de alterar o programa, e liberar suas alterações, de modo que toda a comunidade se beneficie. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.

E vale lembrar que esse ano o Projeto GNU completou 30 anos. Clique no link e dê uma olhada no vídeo, https://www.youtube.com/watch?v=brFdViPSsi4

GNU 30 anos

Isso é tudo pessoal, ficamos por aqui, sabendo então o que é o Projeto GNU, no próximo post da série conheceremos a história do kernel Linux, e seu envolvimento com o Software Livre. Espero que tenham gostado, deixem sua opinião nos comentários abaixo. 🙂

Saudações Livres a todos(as)! 🙂