PHP – Comandos de Saída

PHP - Comandos de Saída

E aí? Só o filé!?

Este post, PHP – Comandos de Saída, é bem básico e tem como objetivo mostrar algumas características da linguagem pra lhe fazer começar a desenvolver.

Antes de mais nada você deve ter um ambiente de desenvolvimento já arrumado, no mínimo, Apache2, PHP, Navegador Web, e um editor de texto, se ainda não tiver esse ambiente clique aqui e depois volte! 🙂

Ok, irei usar o Iceweasel(Mozilla Firefox) como navegador e o Sublime Text como editor de texto, mas antes de iniciar vamos entender um pouquinho como funciona as coisas:

1 – Todos os arquivos deverão ser salvos dentro do diretório do servidor, no meu caso, o /var/www/

Se isso não acontecer os arquivos não conseguirão ser interpretados já que o PHP(interpretador) fica instalado no servidor.

2 – Os arquivos e os diretórios não podem ter espaços, nem letras acentuadas, e nem caracteres especiais em sua nomenclatura.

Caso não siga esta dica terá bastante problema.

3 – A nomenclatura dos arquivos e diretórios deve estar em caixa baixa.

Essa é apenas uma questão de organização e facilidade de acesso.

4 – Em todo diretório crie um arquivo chamado index.php mesmo que seja em branco deixe-o lá.

Essa parte é sobre segurança, caso um diretório não possua o arquivo index.php ou index.html os arquivos dentro do diretório serão visíveis, e isso é muito ruim.

Ok, feito isso vamos iniciar de verdade, criarei dentro do meu servidor um diretório chamado php ficará então assim: /var/www/php agora dentro deste diretório irei criar o meu index.php e dentro dele colocarei o seguinte código:

<?php
    echo "Hello World!";
?>

feito isso, vamos testar, abro o navegador e digito http://localhost/php ou http://localhost/php/index.php dá no mesmo.

Certo, vamos entender o básico:

  • Todo o código PHP ficará entre <?php e ?> tudo que ficar fora disso será interpretado pelo navegador, ou seja, como texto ou como HTML;
  • O comando echo serve pra mostrar algo na tela;
  • Todos os conjuntos de caracteres(letras, números, símbolos) ficam entre aspas duplas(“”) ou simples(”), essa cadeia é conhecida como String;
  • Todos os comandos precisam ser finalizados com ponto e vírgula ;
  • Dentro de um arquivo você pode abrir quantas tags php(<?php ?>) precisar;

Veja agora outro exemplo de código:

<?php
  echo '<font color="red">';
  echo "PHP com Rapadura";
  echo '</font>';
?>

Tendo adicionado este código no index.php que estávamos usando e tendo recarregado a página do navegador que está a testar, deverá ter agora o texto PHP com Rapadura na cor vermelha como mostra a imagem a seguir:

PHP com Rapadura em vermelho

Certo, perceba que no código temos o uso de 3 echo‘s em 3 linhas de comando, e perceba o mais importante, as strings, note que nas linhas que possuem código HTML eu coloquei aspas simples, mas na linha com a frase PHP com Rapadura eu mantive as aspas duplas, essa diferença é proposital pois através disso conseguimos manter o padrão da linguagem HTML de colocar o valor do atributo entre aspas duplas, ou seja, color=”red” se tivéssemos colocado a tag font entre aspas duplas o PHP não entenderia o que estava acontecendo pois em uma mesma cadeia de caracteres teríamos uma mistura de aspas, tipo assim:

<?php
   echo "<font color="red">";
?>

Perceba que iniciamos a string em “<” e finalizamos em “=”, logo após isso temos um termo red e depois outra string, aquele termo red é exatamente o que o PHP não vai reconhecer, e por isso dará erro.

Então o macete é o seguinte:

“Utilize simples sempre que tiver HTML, e use aspas duplas pra texto bruto, texto que é apenas texto mesmo.”

Veja outro exemplo de código:

<font color="red">
<?php echo "PHP com Rapadura"; ?>
</font><br>

<?php echo "A Comunidade mais arretada do mundo!"; ?><br>

<a href=""> <?php echo "Se achegue mais!"; ?> </a>

Perceba que dessa vez temos o uso da tag <?php ?> 3(três) vezes, isso funciona tranquilarmente, porém não é aconselhável já que toda vez que abrimos a tag <?php estamos executando o interpretador PHP e ao colocarmos ?> estamos fechando o interpretador, ou seja, é como se ficássemos abrindo e fechando um programa, fazendo assim um rebuliço no processador e na memória do computador.

Certo, só pra finalizar o post vamos aprender um outro comando que também serve de saída, o print, basicamente os dois, print e echo, fazem a mesma coisa, porém a diferença é que o print sempre retorna algo e o echo não, em outras palavras o echo é mais rápido.

Veja um exemplo de uso do print:

<?php
    print("Rapadura do Poder");
?>

O resultado seria o mesmo se fosse com echo, mas como falei o echo é mais rápido.

Pois bem pessoa, este foi mais um post sobre PHP, no próximo post da categoria falaremos sobre variáveis e tipos de dados.

Saudações Livres a todos e que a Força esteja com vocês! 🙂 Qualquer dúvida poste nos comentários.